domingo, agosto 03, 2008

Bruxelas - 1






Depois de Hamburgo, saída directa para Bruxelas, para o Aeroporto Internacional, que fica fora da cidade.

A primeira impressão que tive, assim que saímos do aeroporto e fomos de táxi para o hotel, que ficava quase no centro, foi o trânsito intenso. Muitos carros.. filas compactas, as ruas são quase todas paralelas umas com as outras e imensos cruzamentos, na parte nova, claro... mas no meio disto tudo uma coisa que me surpreendeu, assim como em Hamburgo foi a quase total ausência de buzinas.

O mesmo se passa com as passadeiras e as pessoas a atravessar: o sinal pode estar vermelho para o peão e não virem carros... ninguem atravessa a estrada, excepto 2 portugueses de t-shirt e calções e que quando chegam ao meio da estrada têm todas as pessoas no passeio a olhar para eles com olhar reprovador! Ahahaha
O nosso hotel “Van Belle” ficava bem no meio de um bairro argelino,marroquino... com muitas lojas e cafés “deles”. Parecia que estava no médio oriente. Só se viam letreiros escritos em árabe e mulheres na rua com os cabelos cobertos com lenços. Nos cafés, só se vêem homens, nada de álcool.. eles bebem muito é chá e tão sempre de cigarro na boca e a jogarem cartas ou dominó.
O nosso hotel tinha uma decoração meio rústica e o bar parecia saido de um filme dos anos 20... um balcao enorme com uma luz amarelada muito fraca. Entretanto, saídos do hotel, andávamos 15 min e estávamos no centro de bruxelas, cheio de explanadas, muuuita gente nova, turistas, etc.
Reparei num pormenor: as fachadas sem janelas dos prédios e os tapumes têm quase todas desenhos\grafittis de banda desenhada. Ha imensas lojas de livros de BD... lá existe uma cultura BD (o Hergé, criador do Tintim, era Belga.. e o Spirou). Mas lojas a sério, de 2 andares só com livros de bd, por autor\estilo. É incrível a quantidade de livros. Infelizmente todos em francês...


No centro fica a Grand Place (praça central), o sítio por excelencia de bruxelas, sempre cheio de turistas. Sabe muito bem ficar la sentado no meio da praça a sentir apenas o ambiente. E comer o famos Waffle com chocolate belga, é claro! À volta desta Praça existem muitos restaurantes “para turistas desprevenidos” onde se come pouco e mal e paga-se muito.
Uma das manhãs fui passear no autocarro “sightseeing” que dá a volta à cidade nos principais locais. Bruxelas está cheio de parques verdes onde se pode estar esticado na relva a relaxar ou fazer jogging. A parte mais nova da cidade já é constituída por grandes avenidas com edifícios altos todos envidraçados, de grandes empresas. É aqui que se situam os edificios pertencentes à uniao europeia... Mais fora da cidade temos o monumento ao átomo (o Atomium), no meio do Heysel Park....


No ultimo dia fomos para o aeroporto de comboio ao fim tarde (o voo para Milão estava marcado para as 22h)... e azar! Atraso no voo, disseram-nos que só haveria avião à meia noite! Ficámos dentro do terminal. Nós e as pessoas do nosso voo. O resto do terminal, enorme, vazio... as tantas reparei num ratinho, a passear contente com um bocado de pao na boca, de um lado para o outro…


Até Milão!

1 comentário:

Lelê Busarello disse...

Que bela viagem, Tinoni! Gosto da descrição dos lugares por onde você passa. Vou mostrar a Helo, que vai para lá semana que vem. Beijo e vamos falando. Esta semana tenho visitas e correria, mas para a outra devo estar mais calma. Combinamos um passeio. Teresoca quer fazer algo no finde do dia 15. Let´s see, sabe que esses planos sempre mudam de um minuto para o outro :)